Movimentos Cinematográficos: New Wave Britânica

By Maykon Alves
In julho 15, 2020

A New Wave Britânica foi um movimento cinematográfico de grande importância para a história do cinema inglês. A New Wave ou Nova Onda, é mais um movimento com forte ligações com a Nouvelle Vague Francesa e outros movimentos semelhantes, que ocorreram praticamente no mesmo período. Assim, este será o movimento que iremos falar sobre.

.

O Movimento Cinematográfico New Wave Britânica, possui características ligadas ao teatro, pintura e literatura. Coincidiu também com a geração de “jovens revoltados” um grupo de dramaturgos pertencentes ao proletariado de classe média. Jovens como John Osborne e Tony Richardson, levavam os temas sociopolíticos do teatro para o cinema. Este movimento dava muita ênfase a classe trabalhadora, mostrando o lado mais sombrio de suas vidas, suas dificuldades, lutas diárias, sonhos e frustrações.

O movimento teve inspiração pelo caráter experimental do movimento documental Free Cinema, sendo que muitos dos cineastas da New Wave, eram documentaristas. A New Wave Britânica também foi conhecida pelo termo “realismo na pia da cozinha”, pois simplesmente representava a classe trabalhadora. Este termo veio por causa do artista John Bratby e seu famoso quadro expressionista de uma pia de cozinha.  Mas o termo em si, não é exclusivo do meio cinematográfico.

Tony Richardson um dos principais cineastas da New Wave Britânica

.

Antes, os temas supracitados eram ignorados, sendo que as classes mais baixas, eram representadas em tom de comédia e humor, sendo reduzidos a meros elementos e objetos para o entretenimento de outros. A New Wave Britânica, foi importante para dar voz a este grupo da sociedade, os representando com sentimento e emoções.

Uma característica importante, é que a maioria dos filmes eram filmados em preto e branco, sendo bastante espontâneos e filmados ao ar livre. O estilo de filmagem espelhava-se ao estilo documental, o que dava a sensação de maior realidade. Assim, podia se ver um estilo realista, com pessoas reais, com histórias sobre elas mesmas, repletas de emoções e tudo isso filmado vividamente.

.

Dentre os Temas mais explorados pela New Wave Britânica, destacamos:

– Estrutura de classe e suas restrições.

– Gravidezes não planejadas e suas implicações.

Os filmes também exploravam as divergências e lutas dentro da classe trabalhadora. O principal foco aqui, eram nas pessoas que trabalhavam arduamente todos os dias, sendo justaposta contra as classes trabalhadores superiores.

Entretanto, existem muitos outros debates dentro dos filmes da New Wave Britânica. Eles abordavam os sistemas socias e as mudanças dentro do mesmo; o poder; e como a mente influencia a ordem social e a econômica.

.

Assim, a New Wave Britânica se apoiou sobre o realismo da classe trabalhadora e o ambiente ao seu redor, que aspirava por mudanças. Os filmes representavam dramas convencionais, que retratavam os temas abordados de maneira séria. Vale destacar também a parte da Cinematografia, que muitas vezes se apresentavam inolvidável e poética, trazendo ainda mais melancolia as histórias apresentadas. Sua importância para a Inglaterra é gigante, e influenciou não somente outros cineastas ou filmes que vieram a seguir, mas também a literatura e o teatro.


Filmes da New Wave Britânica

Room at the Top | Almas em Leilão (1959) – Jack Clayton


Look Back in Anger | Odeio Essa Mulher (1959) – Tony Richardson


Saturday Night and Sunday Morning | Tudo Começou num Sábado (1960) – Karel Reisz


A Taste of Honey | Um Gosto de Mel (1961) – Tony Richardson


A Kind of Loving | Ainda Resta uma Esperança (1962) – John Schlesinger


The Loneliness of the Long Distance Runner | A Solidão do Corredor de Fundo (1962) – Tony Richardson


The L-Shaped Room | A Mulher que Pecou (1962) – Bryan Forbes


This Sporting Life | O Pranto de um Ídolo (1963) – Lindsay Anderson


Tom Jones | As Aventuras de Tom Jones (1963) – Tony Richardson


Billy Liar | O Mundo Fabuloso de Billy Liar (1963) – John Schlesinger


Darling | Darling: A que Amou Demais (1965) – John Schlesinger


Alfie | Como Conquistar as Mulheres (1966) – Lewis Gilbert


If…. | Se… (1968) – Lindsay Anderson


Kes (1969) – Ken Loach


Confira nossas outras matérias sobre os movimentos: Expressionismo Alemão | Impressionismo Francês | Montagem Soviética | Neorrealismo Italiano | Nuberu Bagu – Nova Onda Japonesa | Nouvelle Vague Francesa | Cinema Novo Brasileiro

“Eu sou apenas um rapaz latino-americano, sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo do interior” Uma frase que define muitos e a minha pessoa também. E mais do que isso, um publicitário contador de piadas ruins, apaixonado por café e uma boa cerveja. Uma pessoa excêntrica, com gostos peculiares e mais do que tudo, um fascinado pela 7ª arte.

Deixe um comentário