Você Precisa Ver: Intolerância

By Maykon Alves
In abril 5, 2021

Intolerance: Love’s Struggle Throughout the Ages

Ano.: 1916

Gênero.: Drama, História

País de Origem.: EUA

Dirigido por.: D.W. Griffith

Trilha Sonora.: Joseph Carl Breil  |  Felix Günther* (1924)

Cinematografia.: G.W. Bitzer

Direção de Arte.: D.W. Griffith & Walter L. Hall

Avaliação.: Rotten Tomatoes.: 97% | IMDB.: 7,7/10 | Metacritic.: 99

Onde Assistir.: Telecine Play & Belas Artes à La Carte

“Nossa peça é composta de quatro histórias distintas, dispostas em diferentes períodos da história, cada uma com seu próprio conjunto de personagens. Cada história mostra como o ódio e a intolerância, através de todos os tempos, lutaram contra o amor e a caridade.”

Quatro histórias paralelas de intolerância ao longo dos tempos – mais especificamente a antiga Babilônia, a era da revolta de Cristo, a Renascença francesa durante o reinado de Carlos IX e sua mãe Catarina de Médici e os dias atuais – são apresentadas.

Essa intolerância é apenas por causa de grupos sociais, em oposição às pessoas como indivíduos. Cada história fala do grupo no poder, que usa esse poder para reprimir uma revolta popular – geralmente com violência – e o efeito que isso tem sobre um jovem casal que só quer viver em paz.

Curiosidades

– Durante as filmagens das sequências de batalha, muitos dos figurantes se envolveram tanto em seus personagens que causaram ferimentos reais uns aos outros. No final de um dia de filmagem, um total de 60 feridos foram tratados na barraca do hospital da produção.

– Em 2007, o American Film Institute classificou este como o #49º melhor filme de todos os tempos.

– DW Griffith investiu mais de US$ 2 milhões neste filme, uma quantia de dinheiro sem precedentes na época. Ele nunca chegou perto de recuperar seu orçamento – o público em 1916 estava completamente desacostumado a ver filmes que duravam mais de três horas.

Qual sua nota para o filme?

“Eu sou apenas um rapaz latino-americano, sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo do interior” Uma frase que define muitos e a minha pessoa também. E mais do que isso, um publicitário contador de piadas ruins, apaixonado por café e uma boa cerveja. Uma pessoa excêntrica, com gostos peculiares e mais do que tudo, um fascinado pela 7ª arte.

Deixe um comentário